segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Movie Pass

O Movie Pass de hoje destaca um filme que nasceu para ser cult. Entrevista com o vampiro do irlandês Neil Jordan é objeto de culto por variadas razões. Desde sua fonte literária até o hype de ser o único filme até hoje a reunir Tom Cruise e Brad Pitt em um mesmo filme. Vale o acréscimo de que na ocasião dessa colaboração entre os astros, ambos estavam na crista da onda.
Entrevista com o vampiro é um dos precursores, tanto livro quanto filme, em explorar a sexualidade e a sensualidade que tramita vivamente no universo dos vampiros. A escalação de um elenco masculino jovem, belo e que já gozava de prestígio junto ao público feminino - participam do filme ainda Antônio Banderas e Christian Slater - corrobora essa teoria.
Atualmente com os vampiros em alta, é mais do que natural revisitar Entrevista com o vampiro. Filme que pode e dá muita perspectiva em relação ao tratamento que as criaturas da noite estão recebendo agora.

A seguir o trailer do filme e a minha critica:

video


Vampirismo fashion!
É de se compreender tamanho alvoroço em torno de Entrevista com o vampiro (Interview with the vampire EUA 1994). O filme sensação da temporada reúne os astros e sex symbols Brad Pitt e Tom Cruise pela primeira vez, é também a primeira vez que a obra de Anne Rice ganha respaldo artístico e investimento condizente em Hollywood. O diretor Neil Jordan do cult Traídos pelo desejo amplia os preceitos da obra de Rice e aproveita-se do frisson causado por seus astros.
Em Entrevista com o vampiro, assistimos o vampiro Luis de Poant (Brad Pitt) concedendo uma entrevista em que relata toda a sua vida. O repórter vivido por Christian Slater personifica a platéia e divide-se entre a euforia e o temor pelo que ali será descoberto.
A fita preserva o tom lúgubre da obra de Rice, mas Neil Jordan potencializa sabiamente a angústia da existência de Luis, é a primeira vez que isso acontece tão amplamente em um filme sobre vampiros, inserindo um novo status quo a retratação dos dentuços pelo cinema. Luis soa diferente dos outros vampiros da fita, o que reforça a idéia de que também os vampiros são movidos por sentimentos. Um poderoso acréscimo a um universo que carecia de renovação.
Tom Cruise e Brad Pitt vivem seus vampiros com a aura que rodeia suas personas. É no mínimo interessante ver Cruise assumir sua vaidade como o milenar Lestat. Pitt reveste seu Luis de uma sensualidade pulsante. Contudo, o filme não é só acertos. Falta-lhe um conflito mais bem elaborado. O arrependimento e a dor de Luiz não sustentam toda a projeção, e portanto, Entrevista com o vampiro cede ao puro fetichismo. Afinal de contas nada é mais fashion do que Brad Pitt e Tom Cruise vampiros no mesmo filme.

Nenhum comentário:

Postar um comentário