terça-feira, 14 de setembro de 2010

Claquete destaca

+ Eles, sempre eles, os paparazzi são os responsáveis pela primeira imagem, ainda que não oficial, de X-men:first class. Um reboot que a Marvel e a Fox estão planejando para a saga mutante. Na foto, January Jones aparece como Emma Frost, também conhecida como a rainha branca, integrante do clube do inferno. Frost e Clube do inferno serão dois dos motes da nova aventura mutante que chega aos cinemas em junho de 2011.



+ A fox searchlight fechou o contrato para a distribuição do filme Tree of life, nova produção do cineasta Terence Malick. O filme estrelado por Sean Penn e Brad Pitt, embora prometido para o final deste ano, ainda não está concluído. Malick ainda não terminou de editar a fita.


+ E parece que Woody Allen anda pensando melhor sobre ter Carla Bruni em seu filme. Informações apuradas pelo tablóide britânico Daily Mail dão conta de que a produção de Midnight in Paris contratou uma atriz francesa para refazer todas as cenas de Carla Bruni no que foi classificado pela imprensa internacional de “seguro”. Esse seguro existe porque consta de que a primeira dama francesa além de não estar fazendo um bom trabalho como atriz (algo que a própria previra, mas todos julgaram ser apenas charme), pode dar um petit (com t já que, embora italiana ela está francesa) e decidir cancelar sua participação no filme. Allen e assessoria negam essa informação e afirmam que a francesa contratada é apenas uma adição ao elenco, embora não especificada. Enfim, o futuro dirá se com essa notícia, terá sido o ovo ou a galinha...




+ Foi divulgado na semana passada a lista dos filmes que se inscreveram para disputar a indicação brasileira na corrida pelo Oscar de filme estrangeiro. Rumores indicam que o sucesso de bilheteria Chico Xavier será o escolhido. Não há um grande filme nacional na disputa este ano. Mas aqueles que fazem valer o voto são As melhores coisas do mundo (embora não tenha o perfil do Oscar) e Cabeça a prêmio. O novo trabalho de Arnaldo Jabor (Suprema felicidade), que terá premiere nacional no próximo festival do Rio, também concorre.


+ Keanu Reeves começa a gravar esta semana Generation um, estréia na direção do roteirista Mark L. Mann. No filme, Reeves irá viver um homem imerso no universo de drogas, bebidas, sexo e indecisões. “É um filme sobre auto - descoberta”, declarou Mann.


+ O ator Javier Bardem disse em entrevista publicada no jornal italiano La Repubblica que não se sente muito confortável atuando em inglês. “É como dançar com as palavras. Não me sinto totalmente cômodo”, disse o ator revelando que também não se sente muito a vontade dançando. O espanhol e sua esposa, a atriz Penélope Cruz, estão "grávidos" do primeiro rebento.



+ Você vai conhecer o homem dos seus sonhos, último filme de Woody Allen, é uma das atrações do Festival do Rio que começa no dia 23 de setembro. Entre os principais destaques estão: Copie conforme, de Abbas Kiarastomi, Les amours imaginaires, de Xavier Dolan, The housemaid, de Im Sang-Soo e Tournée, de Mathieu Almaric (todos estes exibidos em Cannes) e Rio sexy comedy, de Jonathan Nossiter. Este último filme, realizado por um americano radicado no Brasil, mostra o choque entre as expectativas dos estrangeiros e o que eles de fato encontram por aqui.


+ Morreu, no último final de semana, o cineasta francês Claude Chabrol. O diretor faleceu em Paris, aos 80 anos, de causas ainda não reveladas. Chabrol foi um dos alicerces do movimento cinematográfico conhecido como Nouvelle Vague.


+ Hereafter foi exibido no último domingo no festival de Toronto. A nova fita de Clint Eastwood dividiu a crítica que cobre o festival, mas a mesma foi unânime em relação a um aspecto: é um Clint Eastwood totalmente inusitado o que se testemunha no filme com pegada sobrenatural. O trailer, você confere agora!


4 comentários:

  1. Vai ser difícil escolher o filme para representar o Brasil, não vejo grandes opções com filme "cara de Oscar"...

    ResponderExcluir
  2. Mas acho que vai ser Chico Xavier msm. Abs

    ResponderExcluir
  3. É deprimente a política brasileira de seleção de filmes ao Oscar. Nem me preocupo mais em acompanhá-la. É (quase) sempre decepcionante!

    Só invejo morar nas cidades Rio ou São Paulo, exatamente por causa desta (ridícula) política de "ilha cultural" intuída desde sempre e que terminará sabe deus quando.

    Fiquei comovido quando li, no mesmo dia em que postastes, sobre a morte de Chabrol. Infelizmente, apesar de muito novo, eu creio que o conheci muito tardiamente. Consola-me o fato de o ter admirado ainda quando vivo, e agora, de descobrir que sua filmografia superou seus anos de vida! Que sublime trabalhão me espera pela frente...

    Abraço.
    ;)

    ResponderExcluir
  4. Não vamos nem começar a falar do processo de seleção do pretendente brasileiro ao Oscar né?! Acho que não agrada ninguém...
    Quanto a Chabrol. Vi seus filmes mais recentes e alguns que ajudaram a definir a Nouvelle vague, mas prolífero como era, tb tenho uma grande hiato a reparar. É um dos mestres do cinema, isso é irreparável.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir