sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Retrospectiva 2010 - Os maiores tititis do ano

10 – Mais um ano de exposição de La Lo
Clínica de reabilitação para dependentes químicos, namorado novo, namorada nova, namorada antiga, prisão domiciliar, prisão de verdade e tudo isso em oito meses. Lindsay Lohan nem precisa de todos os meses do ano para provocar estafa em quem pretende acompanhar o desenrolar de seus escândalos. Em 2010, o ponto alto (ou baixo) foi a transmissão ao vivo (e via internet para todo o mundo, cortesia do site de fofocas TMZ) da atriz (?!) se entregando para cumprir pena em um presídio de Los Angeles.


9 – Paris Hilton e a cocaína

Ela esteve na Copa do mundo. Não para torcer, mas para curtir. Após um pequeno incidente em que foi pega portando maconha, imaginava-se que Paris Hilton (que já fora pega em deslizes semelhantes antes), não fosse repetir o delito tão breve. Mas Paris Hilton é, bem, Paris Hilton. Em setembro, ela foi detida pela polícia americana portando uma grande quantidade de cocaína (suficiente para ser enquadrada como traficante) e maconha. Apesar da droga estar na sua bolsa, Paris alegou perante um juiz que a droga era de sua amiga (que também foi detida com ela). Depois de algumas multas e uma sentença alternativa, Paris foi liberada. O que fica desse episódio é que ela é uma péssima amiga. Não que isso já não fosse de se imaginar. Afinal, Paris Hilton é, bem, Paris Hilton.


8- A lista dos mais rentáveis
Todo mundo sabe que revistas americanas adoram um boa lista. A revista Forbes, uma das publicações mais respeitáveis do meio econômico, divulgou este ano uma lista um tanto controversa. A dos artistas mais rentáveis de Hollywood. Enganou-se quem pensou que Robert Downey Jr., Angelina Jolie ou Johnny Depp (comprovadamente imãs de público) encabeçavam a lista. O líder do ranking é Shia LaBeouf. Nada contra LaBeouf que é bom ator. Mas contra o critério utilizado. Apenas o rendimento dos filmes. Ora, La Beouf estrelou (dentro do período de amostragem) os dois Transformers e o quarto Indiana Jones. Logo, o rendimento dos filmes pouco teve a ver com sua presença. Não é preciso dizer que a lista da Forbes foi muito contestada.


7 – Polanski preso
A prisão em si aconteceu em 2009. Mas o diretor franco suíço entrou 2010 cumprindo cárcere privado em um chalé nos Alpes suíços. Não era legal por que o direito de ir e vir estava suspenso né gente?!
Enfim, muitos cineastas escreveram manifestos pró-Polanski (Martin Scorsese, Woody Allen, Walter Salles, Steven Spielberg e François Ozon para citar alguns) e até mesmo o governador da Califórnia Arnold Schwarzenegger se manifestou publicamente pela liberação do cineasta. No festival de Berlim, ele faturou o prêmio de direção por O escritor fantasma  e mais palavras de apoio se escoaram. Não demorou muito para que o desfecho do caso Polanski tivesse um final feliz. Para ele é claro.


6 – O prêmio imerecido
Foi um bafafá danado. Pobre Sofia Coppola que já carrega aquela estampa de depressiva e viu a crítica internacional desautorizar o leão de ouro concedido pelo júri presidido por Quentin Tarantino a Em qualquer lugar, seu novo filme. Indepedentemente do filme ser digno ou não da premiação, o que vai ficar marcado será essa indignação com a escolha do filme de Sofia e as acusações de favorecimento.  São os tais dos encontros e desencontros.


5 – Cristina Aguilera vs Lady Gaga
Acusações mútuas de cópia e usurpação. Tanto por parte dos fãs de ambas as cantoras quanto da parte das respectivas. Em 2010, Cristina Aguilera copiou Gaga e afirmou que esta a copiara antes. Ficou o dito pelo não dito. Os fãs de Aguilera atacaram os de Gaga na internet, mas furtaram-se ao carinho de comprar ingressos para prestigiar a turnê da cantora. Resultado: Cristina Aguilera teve de cancelar seus shows. Mais melancólico impossível. Mas ei! Ela acaba de estrear nos cinemas (com o filme Burlesque). Só não avisem a Gaga...


4 – John Travolta e a sauna gay
A notícia foi abafada pelo nascimento do terceiro filho do ator com a atriz Kelly Preston, o que só indica o ano atribulado que Travolta viveu. No meio do ano, a rotina do ator foi sacudida pelo lançamento de um livro recheado de intrigas e fofocas de bastidores, o qual trazia como mais suculenta consternação, a revelação de que Travolta frequentava saunas gays. Mas não só. Segundo consta do livro, o ator trai compulsivamente sua mulher com outros homens e, segundo a obra, o ator não fazia lá muita questão de manter discrição a respeito. Obviamente tudo foi negado e para ajudar o livro fracassou em vendas. Better luck next time. 


3 – O assassinato que parou Hollywood
O assassinato da produtora Ronni Chasen, que ajudou na campanha promocional dos dois últimos vencedores do Oscar (Quem quer ser um milionário? e Guerra ao terror), em um cruzamento da famosa Sunset Boulevard com a rua Whittier em Beverly Hills ainda comove. A produtora foi vítima de tiros quando voltava da premiere do filme Burslesque. A polícia impõe ritmo apressado às investigações, mas ainda não tem pistas concretas sobre quem é o responsável pelo crime e por quê.


2- O documentário que é uma grande pegadinha
Joaquim Phoenix não endoidou. Tudo era uma brincadeirinha. Ele e o cunhadão (Casey Affleck), que calha de ser o diretor do documentário que mostra as sandices de mentirinha de Phoenix, resolveram abrir o jogo assim que viram que pouca gente parecia disposta a assistir o colapso de Phoenix na tela grande. A fraca bilheteria de I´m still here: the lost year of Joaquim Phoenix pode ajudar Phoenix a recuperar o rumo na carreira? Só o tempo dirá. 


1 - O inferno conjugal de Mel Gibson
O ano começou promissor para Mel Gibson. De volta aos cinemas (com o bom filme O fim da escuridão) e curtindo a paternidade ao lado da namorada russa Oksana Grigorieva. Mas nada como um dia após o outro não é mesmo? Ameaças de extorsão eram entremeadas com ameaças de agressão. E assim seguiu a lavagem de roupa suja entre Gibson e Gregorieva e Gibson e os advogados de Gregorieva. A união acabou e o ator, que já era conhecido por declarações preconceituosas, ficou mal na fita. Literalmente. Já que foram divulgadas gravações (que nunca tiveram a autenticidade confirmada por órgãos oficiais) do ator xingando e destratando Gregorieva.
O inferno conjugal de Gibson foi o deleite da celebrity gossip em 2010.

6 comentários:

  1. 10 histórias que, realmente, cada uma à seu modo, deram mesmo muito o que falar.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. É, muito tititi em 2010, hehe. A história de Polanski chamou a atenção do meio, sem dúvidas. E Sofia Coppola, coitada, não merecia tanto descrédito. Já Joaquim Phoenix, fez um bom trabalho, mas acho que ninguém acreditou de fato que ele tinha enlouquecido, né? Quanto ao assassinato de Ronni Chasen, triste.

    bjs

    ResponderExcluir
  3. Kamila: É verdade. Beijos

    Amanda: Pois é, 2010 teve seus babados...
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Essa do Travolta é um puta babado, hein??? Tô rosa chiclete, rsrsrs Gente, quem é o assessor dele? - o cara precisa ser indicado, com urgência, pra Marta Suplicy, rsrsrs Esse talento pra abafar os escândalos é algo único no mundo!
    E Paris Hilton merece um prêmio por só ocupar o nono lugar de uma lista como essa - papai noel há de reconhecer o esforço dela.

    Ufa, falei demais (carinha roxa de vergonha)

    Beijos,
    Aline

    ResponderExcluir
  5. Aline: rsrs. Adorei seu comentário. Realmente Paris "só" ocupando o nono lugar é um evento.rsrs. Pois é, o publicist do Travolta é dos bons!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Ingles. Daienne

    ResponderExcluir