terça-feira, 16 de março de 2010

ESPECIAL ILHA DO MEDO - Perfil: Mark Ruffalo

Um operário de respeito

Nascido Mark Alan Ruffalo em Wisconsin, esse americano de 42 anos é daquelas pessoas que sempre soube o que queria ser. No caso, ator. Na adolescência, já estabelecido em Los Angeles (a família mudara para a Califórnia logo depois do nascimento de Mark, o segundo de 4 filhos), estudou artes cênicas no conservatório Stella Adler, o mesmo frequentado por Benicio Del Toro. Ruffalo sempre se sentiu atraído pelos palcos, porém, não conseguia oportunidades, nem mesmo na tv. Mudou-se para Nova Iorque e enquanto não conseguia obter sucesso como ator, se esquivava como bartender em bares do circuito off Broadway. Ele já havia atuado em alguns comerciais de tv, em alguns telefilmes e feito uma ponta no western de AngLee, Cavalgada com o Diabo. Mas a carreira teimava em não se consolidar.
A grande chance veio com a peça “This is our youth”. Ele impressionou critica e produtores com sua performance de um homem desesperançado. Surgiram os primeiros convites para o cinema independente. Em Conte comigo (2000), dirigido por Kenneth Lonergan – autor da peça “This is our youth”, teve sua primeira grande chance. No filme, ele faz o irmão com problemas de intimidade de Laura Linney, tendo sido indicado ao critic´s choice awards de melhor ator coadjuvante. Logo em seu primeiro papel maior no cinema, em uma de suas primeiras incursões na tela grande, Ruffalo foi saudado como um ator interessante e muito talentoso.

Em Zodíaco de David Fincher ele faz um policial linha dura

O cinema independente continuou sendo um porto seguro. Seguiram-se projetos elogiados como Brilho eterno de uma mente sem lembranças (2004), Minha vida sem mim (2003) e Tentação (2004) e questionados como Em carne viva (2003). O cinema comercial passou a se abrir para Ruffalo pela comédia. Trabalhou com Gwyneth Paltrow e Mike Myers sob as ordens do brasileiro Bruno Barreto em Voando alto (2003) e contracenou com Jennifer Garner no engraçadinho De repente 30 (2004).

Ao lado de Julianne Moore nas ruas de São Paulo onde gravou cenas de Ensaio sobre a cegueira de Fernando Meirelles


Projetos e mais projetos
A boa impressão deixada por Conta comigo ajudou a solidificar o status de operário de Ruffalo em Hollywood. Aquele tipo de ator competente, reconhecível pelo grande público, aprazível a critica e sem ataques de estrelismos que possam ofuscar o próprio filme. Colaborações com diretores do primeiro time como Michael Mann em Colateral de 2004 ou blockbusters, como E se fosse verdade..., começaram a ser uma constante para o ator.
Casado desde o ano 2000 com Sunrise Coigney, pai de três filhos, Ruffalo é avesso às badalações que pautam a vida de certas estrelas. É difícil vê-lo em festas e eventos promovidos em Hollywood, a não ser nas premieres em que é contratualmente obrigado a comparecer.
Contudo, Ruffalo não faz corpo mole. Fazendo valer a máxima de operário hollywoodiano, está sempre trabalhando. É um dos atores mais regulares da atualidade. Está presente em pelo menos três filmes por temporada e, sempre que possível, nos palcos também.


Ruffalo em momento "Too sexy for my love"


Em 2010, além de contracenar com Leonardo DiCaprio em Ilha do medo, Ruffalo reencontra sua parceira de Ensaio sobre a cegueira (2008), Julianne Moore em The kids are all right, sucesso no festival de Berlim, e em Uma noite fora de série, contracena com os comediantes do momento, Steve Carrel e Tina Fey.
O ator já está envolvido em pelo menos mais seis projetos. O trocadilho é imperativo. Fazendo valer o título de seu primeiro filme de destaque, Ruffalo, com seus trabalhos sempre ostensivos, parece dizer: “Contem comigo”.

Ao lado de Leonardo DiCaprio em Ilha do medo: um ator reconhecível e competente
Ruffalo´s top 5:

5- Zodíaco (Zodiac, EUA 2007)
No drama de David Fincher sobre o serial Killer que assombrou São Francisco nos anos 70, Mark Ruffalo vive com gosto e convicção um personagem real e que inspirou o célebre dirty Harry de Clint Eastwood.

4 – Ensaio sobre a cegueira (Blindness, JAP/ CAN/BRA 2008)
A tradução de Fernando Meirelles da visão pessimista de José Saramago não seria a mesma sem a força interpretativa de Ruffalo. O ator não era a primeira opção do cineasta que queria o Bond Daniel Craig, mas foi o membro do elenco mais elogiado por Fernando Meirelles na abertura do festival de Cannes de 2008, ocasião em que o filme foi exibido pela primeira vez.

3- Dizem por aí (Rumor has it, EUA 2005)
Nessa comédia cheia de referências cinematográficas orquestrada por Rob Reiner, Ruffalo mostra que sabe jogar para o time. Ele joga a bola para os parceiros de cena, especialmente Jennifer Aniston, brilharem.

2- Traídos pelo destino (Reservation road, EUA 2007)
Vivendo um homem consumido pelo culpa e que se esconde atrás da covardia do anonimato, Ruffalo joga luz sobre as sombras que tragam o homem comum no comovente drama de Terry George.

1- Tentação (we don´t live here anymore, EUA 2004)
No drama sobre relacionamentos de John Curran, o ator vive um homem atraído pela vizinha que não sabe como se posicionar em relação a esse sentimento e a percepção de que sua mulher também está atraída por outra pessoa. Ruffalo abraça o personagem com simpatia e sem receios.

Ao lado de Naomi Watts no drama independente Tentação: Uma performance verdadeira e sem julgamentos

9 comentários:

  1. Adoro o Mark Ruffalo. Ele é um ator extremamente seguro, um cara de credibilidade e confiável demais. Dificilmente, ele está ruim em algum filme que faz. Minha performance favorita dele é a em "Ensaio sobre a Cegueira".

    ResponderExcluir
  2. Acho Mark talentoso e subestimado nas premiações, torço para ele ganhar reconhecimento delas. E, gosto muito dele em "Ensaio sobre a Cegueira", "Zodíaco" e "De Repente, 30".

    Beijos! ;)

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelos comentários meninas. Eu não poderia concordar mais com vcs. Para mim ele é o melhor do elenco de Ensaio sobre a cegueira.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Mark Ruffalo é um dos maiores galãs da atualidade. Gosto de tudo que já vi dele, e sim, ele é peça fundamental em Ilha do Medo.

    ResponderExcluir
  5. É isso msm Fernando. Tive o cuidado de separar as cinco melhores aparições do ator na minha opinião. Como vc pode atestar no top 5 aí de cima. ABS

    ResponderExcluir
  6. O mundo está farto de super-homens! Mark Rufallo é perfeito para mostrar que dá pra ser humano e famoso ao mesmo tempo! Ele é tudo de bom!

    ResponderExcluir
  7. Tenho o maior respeito pelo ator Mark Ruffalo. Ele é um ator completo, pronto para qualquer papel. Torço para que seu talento seja reconhecido amplamente e que muitos prêmios cheguem pra ele.

    ResponderExcluir