quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Especial O quinto poder - Ele é o alvo das Cumberbitches



Ele é inglês. Não especialmente bonito. Seu signo é câncer e ele marca presença em alguns cânones nerds como O hobbit, Sherlock Holmes, Star Trek e no início da carreira contracenou com House (Hugh Laurie) antes de House ser House. Estamos falando, claro, de Benedict Cumberbatch; o ator mais quente da temporada.
Há na internet um grupo, autodenominado Cumberbitches, mais fanático do que o mais famoso Beliebers (seguidoras e crentes da Justin Bieber mania). Benedict Cumberbatch chegou a brincar em uma entrevista à revista Entertainment Weekly de que não temia retaliações do Wikileaks, por protagonizar o polêmico O quinto poder sobre as origens do site, justamente porque as Cumberbitches o protegeriam. 
Este é Benedict Cumberbatch. Um sujeito que até ontem você não conhecia, mas que você não consegue parar de falar a respeito tão logo pousa os olhos sobre ele. De carisma incrível, voz sedutora e charme certeiro, Cumberbatch vai se revelando um atorzão também. São 12 projetos até 2015, fora a participação na série britânica "Sherlock". J.J Abrams, que o dirigiu no último Star Trek (filme em que ele roubou a cena, aliás), disse que Cumberbatch é o melhor ator com quem já trabalhou. Não é pouca coisa. Não à toa, o diretor quer contar com ele no novo Star Wars.
Aos 37 anos, Cumberbatch parece ser mais um daqueles temporões de Hollywood. Ele já está aí faz tempo, principalmente em filmes ingleses como Desejo e reparação (2007), mas a grandeza agora lhe ensaia sorrisos generosos.
O Oscar pode estar no horizonte. O quinto poder rachou a crítica, mas o ator acolheu a unanimidade. Não obstante, integra o elenco de outros candidatíssimos da temporada como 12 years a slave e Álbum de família.

Da esquerda para a direita: arte conceitual inspirada no personagem de Cumberbatch em Star Trek; o ator como Julian Assange em O quinto poder; em foto ao lado de Ewan McGregor, um de seus colegas de elenco em Álbum de família e fazendo pose de galã (mas sem finalizar o cubo mágico)

Para viver o australiano Julian Assange, uma das personalidades mais polêmicas e misteriosas de nosso tempo, Cumberbatch não contou com a colaboração do biografado, mas fez um estudo aprofundado do homem se debruçando sobre a literatura disponível e, também, conversando com pessoas que fizeram parte da trajetória de Assange em algum momento. O grau de precisão da abordagem de Cumberbatch dessa figura tão curiosa e escorregadia impressiona muito além da semelhança física – bem adornada pelo trabalho de maquiagem - e do sotaque australiano perfeito. 
Em O quinto poder, o ator assume esse papel complexo que é, também, seu primeiro protagonismo no cinema. Vida longa ao rei das cumberbitches!

Um comentário:

  1. Não acredito que o Oscar ignorou o Benedict esse ano, que injustiça. Mas outros anos virão, e eu não estarei satisfeita até Hollywood estar aos pés do meu Rei!
    Obs: Benedict Cumberbatch não é bonito. Bonito é pouco, lindo também é pouco, talvez perfeito seja a melhor definição!

    ResponderExcluir